ELISA OHTAKE

DESTRAMBE-LHE-SE COM UM BANDO DE JAPONEZINHOS e FIQUE EM SILÊNCIO, NO ESCURO, COM UM BANDO DE JAPONEZINHOS

Sou mestiça, descendente de espanhóis, portugueses e japoneses. Para a comemoração de 100 anos de imigração japonesa no Brasil me pediram uma performance. Desconfiei. Performance e homenagem não combinam muito.

Após dias pensando, porém, tive uma ideia que, ao meu ver, valia a pena ser testada: duas instalações, na primeira uma pessoa por vez entraria em uma sala e lá estariam 20 crianças japonesas em uma festa anárquica, pulando e dançando loucamente. O participante ficaria nesse ambiente por 3 minutos.

Logo em seguida a mesma pessoa seria conduzida a outra sala com 3 japonezinhos em silêncio, no escuro. Como na primeira, o participante entraria na instalação sozinho e ficaria ali por 3 minutos. Dei o nome de “DESTRAMBE-LHE-SE COM UM BANDO DE JAPONEZINHOS” e “FIQUE EM SILÊNCIO, NO ESCURO, COM UM BANDO DE JAPONEZINHOS”.

A idéia é que o público entre um por um e tenha uma experiência pessoal estética e ingênua, experimentando as duas situações propostas pelos enunciados. Estamos no mundo. Sentir as coisas, percebê-las é deixar-se invadir por elas. No caso, muitos japonezinhos.

O Sesc Paulista realizou esse projeto, a fila para entrar nas salas foi grande e tivemos que fazer um revezamento de crianças.

Elisa Ohtake

Créditos
Concepção e direção: Elisa Ohtake
Performance: Crianças da escola Hei Sei
Produção: Elisa Ohtake
Fotos: Lenise Pinheiro